menu-topo

Coisas que aprendo ao traduzir

1.7.11
Os castores são animais sociais. Muitas vezes coabitam com outras famílias, partilhando a comida e o dia-a-dia.
[No texto original em italiano estava mesmo esta expressão, que me deixou perplexa durante 15 minutos. O dia-a-dia? Será que cozinham juntos, vão para o trabalho, vêem o futebol todos juntos, as fêmeas lavam a louça enquanto os machos jogam às cartas?]
No entanto, fiquei quase emocionada ao ler que os castores são monógamos: ficam com um parceiro para toda a vida. E achei bonito.

Ser tradutor também é isto: ficar maravilhado com as informações que nos surgem à frente dos olhos e criar o distanciamento necessário para absorver novos factos e partilhá-los com os amigos e não apenas reproduzir o texto numa outra língua.
Ser tradutor é esta constante excitação de constatar que, a cada dia que passa, fico menos burra.

7 comentários:

  1. E quando morre um dos membros do casal, o outro morre pouco depois, e sozinho, sem 'reacasalar'... eu aprendi isso não a traduzir, mas a visitar um habitat deles na Terra do Fogo (Patagónia). Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Então amiga? Os castores, como todos os animais, têm uma rotina. Acordam, vão buscar comida pros filhos, depois ensinam-nos a nadar, a roer ou lá o que mais for, depois levam-nos para construir barragens (foram mtos anos de Tio Patinhas, ehehehe) e depois vao dormir. Se há uma rotina, há um dia-a-dia! :D

    ResponderEliminar
  3. É mesmo isso! Aprendo todos os dias ao traduzir. :)

    ResponderEliminar
  4. Uma das coisas que mais fascina na tradução é precisamente a oportunidade de aprender sempre algo cada vez que se pega num texto para traduzir. Seja uma informação, seja um aspecto linguistico, whatever, há sempre uma descoberta. :)

    ResponderEliminar
  5. http://ecaequeeessa.blogspot.com/2010/09/o-tradutor-esse-bicho.html

    ResponderEliminar
  6. Absolutamente, ser tradutor passa muito por aí. Nem sempre a informação que se absorve nos interessa particularmente, mas a verdade é que se aprende qualquer coisa nova a cada dia...

    Quanto aos castores, adoro imaginá-los em plena rotina social, a fazer lembrar desenhos animados!

    ResponderEliminar
  7. O castor também é um filme com o Mel Gibson, mad dizem-me que o fantoche vai melhor que o tio Mel...

    ResponderEliminar

AddThis