menu-topo

Mel

2.7.08
Hoje acordei com esta canção na cabeça e nos lábios. Lembra-me a minha infância, aprendi-a quando era muito pequenina. Era uma das minhas canções de embalar a mim própria preferidas. Foi cantada e gravada pelos dois irmãos (não dueto, gravaram versões diferentes): Caetano Veloso e Maria Bethânia. Chama-se mel, oiçam-na aqui.
Adoro especialmente pelas aliterações suas:

Ó abelha rainha, faz de mim

Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória
Pois se é noite de completa escuridão
Provo do favo de teu mel
Cavo a direta claridade do céu
E agarro o sol com a mão
É meio-dia, é meia-noite, é toda hora
Lambe olhos, torce cabelos
Feiticeira vamo-nos embora
É meio-dia, é meia-noite
Faz um zum na testa, na janela
Na fresta da telha
Pela escada, pela porta
Pela estrada toda afora
Ânima de vida
O seio da floresta amor empresta
A praia deserta zumbe na orelha: concha do mar
Ó abelha, boca de mel
Carmim, carnuda, vermelha
Ó abelha rainha, faz de mim
Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória

1 comentário:

  1. É por isto e por outras coisas quegosto devir aqui odissear!

    ResponderEliminar

AddThis