menu-topo

Amizade no escritório....é possível?

17.6.08
E disseram-me: "Rafa, mete uma coisa na tua cabeça: no trabalho não há amigos, há só colegas".


Desde que comecei nesta nova empresa, em Março, houve pessoas com quem me dei bem imediatamente. Sou daquele tipo de pessoas que se dá facilmente com homens ou mulheres, sou totalmente bissexual nas amizades. Mas o Paolo impressionou-me desde logo. Começámos a trabalhar aqui no mesmo dia. Tem 32 anos, viveu na California, faz-me rir muito sem se esforçar para isso, tem um MBA, é culto e sensato. Aos poucos começámos a partilhar gostos e almoços e momentos. Até ao dia em que ele passou de meu colega e companheiro a meu superior, há cerca de três semanas. Inicialmente encarava a sua frieza como falta de tempo para conversar e brincar. Tinha novas funções e tal, devia habituar-se à gestão de outras pessoas, coitado, tantas novas responsabilidades. Depois houve o jantar da empresa e ouvi-o a comentar com uma colega de outro departamento "tive de mudar a minha atitude, não é fácil gerir outras pessoas, etc" e aquilo caiu-me mal. Então ontem decidi falar com ele e perguntei-lhe muito subtilmente se eu devia habituar-me à ideia e conformar-me com o facto de perder um amigo e ganhar um novo chefe. Ele respondeu-me, num tom muito profissional, que tem de motivar os seus subordinados e andou ali à volta do assunto sem me dizer o que eu queria ouvir: "Que jeeeito! Tu és fantástica, nunca vamos deixar de ser amigos".
Voltei resignada para a minha secretária mas passadas duas horas voltei à carga, desta vez no chat, que é o meio de comunicação preferido de nós, cobardolas insistentes:
- "Temo que não tenhas entendido a minha pergunta de há pouco. Queria dizer (a título pessoal) que lamentava como a mudança de papéis se reflectia na relação que tínhamos: dantes, falávamos de todas as merdas, de filmes, de música, viagens, desabafos, queixinhas e agora receio que não haja espaço para este tipo de relação"
- "Claro que entendi e há ainda espaço para essa relação. Mas estou a tentar com que faças boa figura junto dos superiores, por isso ando a distrair-te pouco".
Acabei por sorrir com dois pontos e um parêntesis, respirando silenciosamente de alívio.


Actualização
No final do dia escreveu-me dizendo:
- Acho que vamos voltar a ser amigos. Vão transferir-me para outra posição e já não serei teu superior.
- Welcome back!

Sem comentários:

Enviar um comentário

AddThis