menu-topo

Culto

20.5.08

Tendo em conta que não vejo televisão aqui em Itália (verdadeiramente horrível, diga-se de passagem), todo o conhecimento que chega à minha pessoa dá-se através da Internet e de leituras. Sou fiel às minhas séries (Desperate Housewives, Eli Stone, Lost, Ugly Betty, Samantha Who, Dirty Sexy Money, Cashmere Mafia, até tenho vergonha de dizer mais nomes, porque senão vocês pensam que não faço nada mais do que ver séries)
Depois, há esta série. Ouvi falar e falar, polémica atrás de polémica. Uma série ousada, sem grandes nomes no elenco, para além de uma madura ex-falsa bailarina de um filme popular dos anos 80 (não, não era a Jennifer Beals que dançava no Flashdance). Actriz de carreira discreta mas linda de morrer.
Pois bem, vi por acaso em promoção o DVD da primeira temporada completa (os italianos não são parvos: a televisão é mazinha, mas os dvds são baratos) e comprei-a. Vi o primeiro episódio. Perturbou-me muito mas não consegui resistir em passar aos episódios seguintes. Sei que comprei a segunda temporada, e a terceira, e a quarta (senhores anti-pirataria, estejam orgulhosos de mim porque é a única série que não saco do e-mule). Não é comédia e não consigo compreender porque continuam a associá-la ao Sex and the City, depreendendo logo do slogan "the same sex, a different city". Não, não tem nada nada a ver.
Não sei se é o realismo das cenas, se o carisma das actrizes mas sei que para além da excessiva promiscuidade que me chocou no início, hoje é para mim uma série incontornável.
Senhores e senhoras, estou a falar de The L Word.




Nota: SILVIA, tens toda a razão. Como me pude esquecer da "Grey's anatomy"?????Claro que sou fã e estou actualizadíssima...poças, são tantas as séries que me esqueci logo desta....Viva a Christina!!!

Sem comentários:

Publicar um comentário

AddThis